(21) 2178-2211 ou (21) 3875-6767

Siga-me nas mídias sociais!

Psicóloga C.R.P: 18558/05

(21) 2178-2211 ou (21) 3875-6767

Psicóloga C.R.P: 18558/05

ADULTO 76 ANOS (Sexo Feminino)

(Este depoimento, assim como todos os outros, foi escrito pela própria cliente. A identidade de todos foi preservada segundo o código de ética, e a publicação de todos foi autorizada pelos próprios).

Procurei a Drª. Nazareth depois de 3 anos em depressão, tomando medicação forte e indo a vários médicos, sem resultado. Um médico amigo da família, que me acompanha há vários anos me indicou a Drª. Nazareth dizendo que ela ia dar um jeito em mim, que ele já havia encaminhado a ela vários pacientes dele, de idades diferentes, e que todos só tinham voltado a ele com ótimas referencias sobre o trabalho dela.

Fui, ainda um tanto insegura pois ficava pensando em como uma psicóloga poderia me ajudar em tudo o que eu sentia.

Apesar da minha idade já avançada e da depressão e das constantes dores ainda me considero uma pessoa ativa, ainda trabalho, dando conta dos negócios da família junto ao meu marido, e os sintomas que estava sentindo antes de ir à consulta com ela estavam me impedindo de exercer minhas funções normais do dia a dia.

Hoje estou em terapia com ela há 1 ano e meio, o médico que me encaminhou à doutora é muito conceituado aqui no Rio de Janeiro e devido à minha evidente melhora já diminuiu a medicação, eu tomava 4 remédios diferentes e hoje só tomo 1, este não posso parar porque sou hipertensa com histórico familiar de cardíacos.

Estou realizando minhas atividades diárias com mais disposição e a terapia faz parte da minha vida, não penso em parar, mesmo estando bem, pois lá é um lugar onde posso falar tudo o que quero e ainda escuto coisas que me ajudam muito porque a Drª. Nazareth é uma pessoa muito prá cima, muito positiva, ela me motiva muito, além de ter me feito entrar numa atividade física e fazer passeios nas horas vagas.

Eu não pensei que uma pessoa tão mais jovem que eu poderia me entender e me ajudar tanto. É bom saber que existem profissionais que se preocupam em dar o melhor de si para fazer seu paciente feliz, a gente sente que ela realmente gosta do que faz e que sabe o que está fazendo, isto dá segurança.

(Esta cliente diminuiu os sintomas de depressão, tonteiras e fobias e hoje leva uma vida mais saudável. Vai ao seu médico apenas de 3 em 3 meses para consultas periódicas de manutenção devido à sua hipertensão, que também está controlada, além de ter recebido alta da terapia).

4 comentários

  1. Luciana Oliveira em 17 de junho de 2010 às 19:19

    Conheci a Nazareth em um dos piores dias da minha vida…entrei em um hospital no Rio de Janeiro chorando muito, sem controle algum das mãos, pernas e pés (estava inclusive, em cadeira de rodas) quando fui ajudada pela mesma que por acaso, tratava de um problema no pé. Logo que me viu detectou que o meu problema era emocional e foi fazendo o que era possível para reverter meu quadro. Quando cheguei a ser atendida pela emergência, praticamente não tinha mais nada.
    Começei primeiramente tratando com terapia e logo que tomei conhecimento do neurofeedback tive a certeza que aquele seria o recurso ideal para avançarmos nos resultados, que por sinal, já eram notados.
    Quando comecei o neurofeedback tinha um grau muito alto de medo, ansiedade, sentimento de traição, perseguição…ainda não completei nem minha 10 sessão de neurofeedback e já me sinto muito mais segura, calma, confiante e já me arrisco fazer sozinha o que seria motivo de pânico no passado (que nem está tão longe assim!).
    Estou muito feliz e os resultados já estão sendo percebidos por familiares e amigos.
    Nazareth, agradeço pela eficiência, dedicação e carinho.



  2. Marcelo de Almeida Gomes em 23 de abril de 2009 às 21:00

    Nazareth é uma pessoa meiga, amorosa e uma profissional dedicada que ama o que faz e dá amor incondicional a seus clientes. Fui cliente dela por mais de oito anos e essa aceitação incondicional, não importa o que eu trazia para a sessão, foi fundamental para que me estruturasse satisfatoriamente como ser humano. Vivi momentos felizes, outros nem tanto, mas esse jogo terapêutico que é um ensaio para vida me pegou tão de jeito que hoje, com a ajuda significatva dela, sobretudo para que não desistisse de mais um projeto, me fez abraçar essa carreira maravilhosa. Nazareth, um beijo e tudo de bom nessa nova empreitada no site, que alíás está muito bem feito. No mais tenho certeza que com sua generosidade e competência tudo está e estará indo bem, tanto profissional, como pessoalmente. Beijos.



  3. admin em 21 de abril de 2009 às 13:39

    Oswaldo, fiquei muito feliz com suas palavras. Saber que meu site pode atinjir alunos em sala de aula através de seus professores me deixa até emocionada.
    Aproveite o material, espero que os ajude a pensar, a fazer escolhas melhores para suas vidas e a se esforçarem para realizarem seus projetos e terem a chance de como eu trabalhar com o que ama.
    E Parabéns a você também que como professor se preocupa desta forma com seus alunos, é disto que precisamos.
    Grande abraço,
    Nazareth Ribeiro



  4. Oswaldo Luiz Baliano em 21 de abril de 2009 às 10:04

    Sou professor do Projovem Urbano, um Programa do Governo Federal, que é desenvolvido em comunidades menos favorecidas. Trabalho em S.Gonçalo, região metropolitana do Rio. Não tenho uma página específica a comentar, acho o site muito interessante e produtivo, pq posso aproveitar alguns assuntos e abordar em sala de aula com os alunos. E não é um tema que se esgota em uma aula só , são temas que perpassam por várias disciplinas e dá até pra planejar com outros professores, construindo o ensino-aprendizado que é um novo paradígma do educador , onde podemos dar uma nova proposta de educação, com isso atraímos mais os jovens, que não tem estímulo de estudar, principalmente nas escolas convencionais.
    Por isso eu afirmo que esse site é uma ferramenta pra muitos profissionais desenvolverem em seu trabalho , ou até mesmo para o perfil profissional de cada um.
    Parabéns Nazareth por este trabalho que vc desenvolve ao longo desses anos , só tenho a agradecer.
    Oswaldo Baliano – professor