(21) 2178-2211 ou (21) 3875-6767

Siga-me nas mídias sociais!

Psicóloga C.R.P: 18558/05

(21) 2178-2211 ou (21) 3875-6767

Psicóloga C.R.P: 18558/05

Coaching TDAH

Coaching TDAH

Existem hoje várias abordagens para o tratamento aos portadores de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) no Brasil e no exterior.

O objetivo deste artigo é justamente abrir uma reflexão e quem sabe futura discussão sobre as possibilidades de recursos desenvolvidos na prática clínica no consultório para o melhor atendimento ao cliente com este perfil.

Psicoterapia (parte subjetiva), utilização de técnicas, reforço e motivação, planejamento e estratégia, as quais serão acompanhados pelo terapeuta diretamente durante a sessão e em outros momentos no dia a dia do cliente (através de contatos via internet), enquanto este realiza suas funções cotidianas, utilizando as estratégias estabelecidas por esta parceria, utilizando recursos hoje disponíveis na Internet, jogos interativos de computador e treinamento cognitivo, dentre outras atividades desenvolvidas para trabalhar a atenção e memorização, e em propostas estabelecidas pelo projeto que também é desenvolvido pelos dois, de acordo é claro, às expectativas do cliente. O terapeuta traça os objetivos com seu cliente, ele facilita a confecção do projeto personalizado do seu cliente e apresenta instrumentos para desenvolvê-lo, é uma relação de interação terapeuta/cliente contínua.

Assim, o processo continua mesmo fora do setting terapêutico, e com isto o cliente tende a apresentar um resultado mais positivo em relação à execução e conclusão de seus projetos, em suas funções executivas, em suas relações interpessoais, em seus sintomas, alcançando um considerável aumento em sua auto-estima, já que adquire mais segurança, autonomia, disciplina e competência quando percebe na prática que está alcançando êxito em suas atividades, começando e efetivamente terminando o que foi por eles estabelecido.

Para isto é preciso construir um plano de ação previamente acordado entre coach e cliente para garantir o sucesso do projeto, onde ambos se comprometem, cada um com sua parte no processo. O terapeuta precisa estar seguro ao realizar este tipo de trabalho para saber conduzi-lo adequadamente e o cliente precisa estar disposto a se comprometer a realizar as atividades propostas e com as possíveis mudanças que alcançará em sua vida.
A estrutura ajuda ao portador de TDAH neste processo, ele precisa se organizar para que as coisas aconteçam e muitas vezes ele não consegue fazer isto sozinho, o terapeuta o ajuda a criar prioridades, a estabelecer processos e a executá-los.

O cliente TDAH geralmente tem dificuldade em executar e concluir seus projetos, principalmente no tempo que se espera, por isto se ele se compromete em fazer suas atividades e por algum motivo não a faz, e se existe o acordo entre o cliente e seu terapeuta, este último pode “cobrar” esta postura e para isto é condição apresentar-lhe um clima de segurança, competência e empatia, para que a que a confiança seja mais um dos instrumentos de trabalho deste especialista.

O Coach TDAH precisa ter o máximo de informação científica sobre o transtorno; ter uma formação acadêmica abrangente; dominar a aplicação e interpretação das técnicas que utiliza em seus atendimentos; ter uma visão holística do ser humano para ajudar seus clientes nas várias áreas de suas queixas; conhecer os sintomas e comorbidades do transtorno; os medicamentos utilizados; possíveis efeitos colaterais e seus resultados no organismo; informação na área profissional (para o caso de atendimento a adolescentes ou adultos que ainda não conseguiram escolher sua carreira ou os que não estão felizes com sua escolha profissional, para viabilizar esta escolha ou se necessário planejar uma gestão de carreira; precisa ter uma visão psicossomática do ser humano e estar disponível para fazer um trabalho multidisciplinar para possíveis trocas com outros profissionais envolvidos no atendimento a este cliente.

O profissional que trabalha com TDAH além de trabalhar os conflitos e frustrações, ficando atento às necessidades emocionais e existenciais deste cliente, precisa também estabelecer objetivos, propor tarefas e estratégias e reforçá-las durante a execução das tarefas propostas, para que ele se sinta motivado a realizá-las. Como o adiamento crônico das tarefas é uma das características que limitam o sucesso do portador de TDAH em seus projetos ele certamente precisará de motivação ao longo da execução de alguns de seus objetivos para começar e para não desistir no meio do caminho e para não ficar trocando de projeto sucessivamente. Vários projetos tocados ao mesmo tempo, porém sem chegar a concluí-los não faz com que a pessoa se sinta realizada, ao contrário, muitas frustrações e insegurança.

Para dar maior suporte a este trabalho, conhecimentos da Neurociência são muito importantes para embasar a Avaliação Neuropsicológica para o Diagnóstico Diferencial e tratamento adequado às necessidades de cada um, além disto, as técnicas de reabilitação cognitiva são efetivas no aumento da capacidade de atenção, concentração e memorização dos que trabalham com elas de forma efetiva.

Informações atuais, práticas e científicas de como lidar com esta clientela de forma assertiva e participativa são muito importantes, capacitação é a palavra de ordem, para mostrar que uma pessoa com TDAH pode ser independente e capaz podendo minimizar suas dificuldades cotidianas, assumindo mudança de hábitos e comportamentos e incorporando em sua rotina as sugestões e atividades novas propostas por seu terapeuta, utilizando estes recursos como instrumento para um melhor desempenho.

Um trabalho, onde a interação entre os dois facilita a concretização dos objetivos e faz com que o cliente se sinta capaz, melhorando sua auto-estima e sua pro-atividade.

Em caso de reprodução favor citar autor e fonte.

Nazareth Ribeiro
Psicoterapeuta Psicossomaticista Especialista em Clínica e Educação.
Coaching Vocacional e Orientação Profissional.
Coaching TDAH.

Doutora pela Esc Rennes (França).