Diagnóstico para TDAH

O diagnóstico de TDAH é feito com base nos sintomas clínicos relatados pelo indivíduo e / ou pelos pais através de coleta de dados e questionários e interpretado por um especialista.

O Eletroencefalograma, o Mapeamento Cerebral, a Tomografia Computadorizada, a Ressonância Magnética e o Potencial Evocado através de Testes Psicológicos não fornecem sozinhos este diagnóstico! Estes são instrumentos que podem ser utilizados para ajudar a fechar o diagnóstico.

Fazer o diagnóstico diferencial é importante pois alguns sintomas do TDAH existem também em outros transtornos e fazê-lo com um profissional especializado é preciso para se direcionar o tratamento para psicoterapia com abordagem adequada ao atendimento para TDAH e a prescrição da medicação por um profissional especialista se necessário.

O Diagnóstico ajuda na inclusão, diferente do que se pensa, e ajuda a melhorar as expectativas do futuro.

Em caso de reprodução favor mencionar autor e fonte.

Nazareth Ribeiro
Psicoterapeuta Psicossomaticista Especialista em Clínica e Educação.
Coaching Vocacional e Orientação Profissional.
Coaching TDAH.
Palestrante.

 

5 Comments

  1. Queria tirar uma dúvida: Meu filho é uma criança que tem muita disposição. Quando
    pequeno, tive muito trabalho com seu comportamento, mas, hoje, ele já não é tão
    “elétrico”, ele tem 10 anos e está no 6º ano(5ª série). Tem notas boas e desde
    que frequenta a escola não teve problemas de aprendizagem. Nunca precisou fazer
    recuperação de notas e suas médias oscilam entre 7,5 e 10. Não acho que tenha problemas a ponto de interferir em sua vida. A única coisa que percebo é que nas aulas brinca muito
    com lápis, desenha, recorta, cola, mas se vc perguntar algo do que está sendo en-
    sinado ele sabe responder. Moro numa cidade onde não há profissionais que confio
    para fazer algum tipo de teste. Queria, se possível, que me desse um parecer de
    acordo com o que lhe passei. Obrigada! Paula.

  2. Infelizmente a nossa sociedade não conhece muito bem o nosso transtorno. Ou se já ouviram falar, são preconceituosos e acham que é invenção da indústria farmaceutica para vender remédios! Sem contar que existe muitos profissionais que só acreditam na teoria DELES! Dão diagnóstico errado e fazem o paciente acreditar que a verdade é essa. Eu sofri demais para descobrir que tinha DDA! Desde criança sempre soube que tinha alguma coisa de errado comigo, mas não sabia o que era, e pior, eu não sabia explicar o que sentia! Procurei alguns psicólogos do meu colégio (que é o melhor da cidade onde moro) e todos sempre me diziam não, mesmo eu lá gritando por socorro, davam um diagnóstico de 5 minutos e mandavam eu ir embora. Passei quase 1 ano pra confirmar o meu caso! E toda vez que ouvia um não eu tentava enxergar aonde eu errei, e minha insegurança bloqueava e escurecia a visão do que era óbvio! Muitos pais e professores não são informados sobre esse distúrbio, e isso é lamentável. Gente que descobre que possui DDA aos 50 anos! Absurdo! A sociedade também cai em cima da gente, taxando disso e aquilo, excluindo, sem contar com o nosso próprio julgamento! Passar uma vida inteira sem auto-estima, achando que a vida não é mais do que aquilo.. Eu espero que seja bem divulgado esse transtorno pq eu não iria gostar que um filho meu ou alguém passasse pelo o que eu passei! Sorte daquele que consegue identificar aos 7 anos. Seu site foi EXCELENTE para que eu continuasse com minha esperança! Tem muita informação e os depoimentos são ótimos! Infelizmente não posso fazer terapia com você pq acho que somos de cidades diferentes, mas eu tenho certeza que se não fosse isso, vc iria me levar longe! Muito obrigada pela ajuda rápida e eficiente! Você salvou o meu dia!
    Beijos!

  3. Oi Melissa, fiquei feliz em poder ajudar e esclarecer algumas de suas duvidas,
    Faça o tratamento adequado e confie nos resultados,
    Invista em vc, faça projetos e não desista nunca dos seus sonhos, afinal fazer projetos nos mantém motivados a alcançá-los, o tratamento será um recurso para ajudá-la a concluí-los mas você tem que querer,
    Bjs,
    Nazareth

  4. Good introduction, great level of detail, compelling conclusion, great job 😉

  5. What I find so inrtetseing is you could never find this anywhere else.

Deixe seu comentário

Comentários não permitidos